segunda-feira, 18 de agosto de 2014

O que é a bíblia? Parte 19. O verso faz o telhado ir pelos ares (por Rob Bell)



Série de reflexões sobre a Bíblia, escrita e publicada originalmente em inglês, no tumblr, pelo próprio autor Rob Bell e sua equipe. (http://robbellcom.tumblr.com/post/66107373947/what-is-the-bible).
Transcrito e adaptado para portugues por Marcus Vinicius Epprecht com autorização do autor. Proibida a reprodução para fins comerciais ou qualquer forma de ganho sobre este texto sem a autorização expressa do autor e do tradutor.
Revisado por Felipe Epprecht Douverny e Fernanda Votta Epprecht.
Publicado em português simultaneamente nos seguintes endereços:





Parte 19. O verso que faz o telhado ir pelos ares





Apertem os cintos de segurança, amigos.

Está escrito no primeiro capítulo da carta do apóstolo Paulo aos Efésios

.. ele nos fez conhecer o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que Deus estabeleceu em Cristo, a ser posto em prática quando o tempo chegar ao seu cumprimento, para trazer a unidade de todas as coisas no céu e na terra sob Cristo.

Espera aí - o quê?
Trazer unidade de todas as coisas?
Todas as coisas?

Primeiro, então, um pouco de grego para os que estão anotando em casa.

A expressão todas as coisas é a palavra pas em grego, e isso se traduz literalmente ... todas as coisas (Eu estou supondo que você pensou que ia ser algo sutil ou profundo, ao contrário, é exatamente o que parece ser …).

Recapitulando um pouco: de acordo com Paulo, nessa passagem, Deus está fazendo algo - algo que envolve todas as coisas - através de Cristo porque isso traz prazer a Deus.

Deus é um buscador de prazer.
É por isso que tudo está de acordo com -
o prazer de Deus.

Deus gosta disso, seja o que for.

Agora, para o seja o que for.

A frase usada para descrever o que Deus está fazendo em Cristo é traduzida aqui como
para trazer a unidade
em outras traduções é
para resumir
ou
para reunir
ou
recapitular
ou
para trazer à tona.

A palavra em grego é anakephalaiossathai. Vamos fazer uma pausa por um momento para apreciar o próprio tamanho dessa palavra. Se você usar essa palavra você não estará brincando. Este é o único lugar em que ocorre na Bíblia, e com ela você pode esmagar seus amigos num jogo de palavras cruzadas.

Ana significa mais uma vez,
Kephale significa cabeça,
assim anakephalaiossathai é trazer as coisas de volta juntas sob uma só cabeça.

(A palavra também tem conexões no mundo antigo com a matemática, descrevendo o que acontece quando você soma vários números).

Dois pontos sobre esta palavra :
Às vezes, como você viu , esta palavra é traduzida como recapitular. Outra palavra para recapitular é recontar. Há uma história que foi contada de uma certa maneira, a partir de um certo ponto de vista, através de uma certa lente - mas então você reconta isso, você recapitula isso, você conta isso de uma maneira diferente.

Quando você reconta uma história, você não remove os pedaços desagradáveis ou os eventos infelizes, você os incluí. Mas ao recontar as coisas, elas aparecem em uma nova luz. Elas são o que são, e quando são recontadas tomam um novo significado e peso.

Lembra quando você foi acampar e choveu o tempo todo e você estava todo molhado e, e então o carro tinha um pneu furado e os guaxinins avançaram em sua comida ... ? (Insira uma história semelhante aqui) Quando você conta essa história anos mais tarde, em um jantar festivo, você a conta com um sorriso em seu rosto, com grande floreio até que todos ao redor da mesa fiquem rindo.

É uma grande história sobre a PIOR VIAGEM DE CAMPING JAMAIS VISTA. Você estava rindo quando sua barraca estava rasgada e cheia de água? Você estava sorrindo quando você percebeu que não tinha roupas secas? Você estava curtindo essa caminhada para a loja de conveniência na chuva, enquanto a fazia?

Não.
Estava uma droga.

E, no entanto, quando você reconta essa história anos mais tarde, você inclui todos os detalhes, porque todos eles contribuem para torná-la uma grande história.

Na verdade, você acentua os detalhes desagradáveis. Não foi só uma chuvinha, foi uma chuva enorme, uma tempestade. Sua irmãzinha não só teve uma dor de estômago por causa dos bolinhos que ela recebeu no posto de gasolina e que ela comeu no café da manhã, almoço e jantar, você acaba nos dizendo como ela vomitou a noite toda na barraca, que estava prestes a rasgar.

O que antes eram as piores partes da história, em sua releitura, tornam-se os melhores trechos.

Agora, de volta ao texto.
De acordo com Paulo, Deus está recontando ... tudo. Suas partes desunidas, fraturadas, quebradas, que foram espalhadas por todo lugar, e traz prazer a Deus trazer tudo de volta à unidade. Em Cristo.

Tudo isso?
Toda a história?
Tudo que cada ser humano já fez?
Por que Paulo usa esta palavra pas, que é intencionalmente expansiva? Porque é que ele inclui o céu e a terra?
Por que ele não colocou alguns limites?
Por que ele não disse coisas religiosas ... ou coisas cristãs ... ou coisas redimidas ... ?
Por que isso é tão descaradamente inclusivo?
Por que ele é tão claro que nada é deixado de fora desse
anakephalaiossathai-mento que Deus está trazendo ao mundo e que dá a Deus tanto prazer?

Com essas questões em mente, observe o que Pedro diz em Atos, capítulo 3:

até que chegue a hora de Deus restaurar todas as coisas

e que Paulo escreve em Colossenses capítulo 1

Deus estava satisfeito …

(Lá está a palavra prazer novamente)

em reconciliar consigo mesmo todas as coisas através de Jesus

(lá está a palavra pas de novo)

as coisas na terra ou coisas no céu, estabelecendo a paz pelo seu sangue, derramado na cruz.

E aqui está Jesus em Mateus capítulo 19

em verdade vos digo, na renovação de todas as coisas …

O que é isso?
Do que eles estão falando?

Restauração, reconciliação, renovação, anakephalaiossathai-ção-
eles são consistentes e persistentes em suas alegações de que o que Deus está fazendo no mundo envolve colocar tudo de volta no lugar, como deveria ser.

Seu coração partido?

Todas as coisas.

Pobreza?

Todas as coisas.

Abuso?

Todas as coisas.

Racismo?

Todas as coisas.

Relacionamentos quebrados?

Todas as coisas.

Todas as coisas.
Todas as coisas.
Todas as coisas.
Todas as coisas.
Todas as coisas.

Segundo Paulo, isto é o que traz prazer a Deus.
Isto é o que Deus está fazendo no mundo.
Isto é o que Deus está fazendo agora.



quinta-feira, 14 de agosto de 2014

O que é a bíblia? Parte 18. Nosso Cara está Vivo! (por Rob Bell)



Série de reflexões sobre a Bíblia, escrita e publicada originalmente em inglês, no tumblr, pelo próprio autor Rob Bell e sua equipe. (http://robbellcom.tumblr.com/post/66107373947/what-is-the-bible).
Transcrito e adaptado para portugues por Marcus Vinicius Epprecht com autorização do autor. Proibida a reprodução para fins comerciais ou qualquer forma de ganho sobre este texto sem a autorização expressa do autor e do tradutor.
Revisado por Felipe Epprecht Douverny e Fernanda Votta Epprecht.
Publicado em português simultaneamente nos seguintes endereços:






Parte 18. Nosso cara está Vivo!




Vamos falar sobre a ressurreição.

Há quatro relatos da vida de Jesus: Mateus, Marcos, Lucas e João. Todos falam sobre Jesus sendo traído por um de seus amigos, tendo uma última refeição com seus amigos, sendo crucificado pelos romanos, e depois ressuscitando dos mortos.

Se você ler os relatos evangélicos da ressurreição de Jesus, as coisas ficam interessantes muito rapidamente.

Marcos relata que no primeiro dia da semana, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé foram ao túmulo de Jesus
enquanto
Mateus diz que Maria Madalena e a outra Maria é que foram ao sepulcro

(O que é um estraga prazeres! Você ficaria mordido, se você fosse ela - você iria para a história como a outra Maria?

Oh, você sabe, era a outra Maria.

Hey Bob, você gosta da Maria?
De jeito nenhum, cara, eu sou totalmente a chegado a outra Maria!)

(Quanto tempo eu ia ficar prolongando essa piada sobre Outra-Maria? Por favor, me diga que você pode manter essa sequência repetitiva ... por que no fim... Quem vai ficar com Maria). (nota de tradução: “there’s something about mary” é o nome de um filme que em português se chama “Quem vai ficar com Mary?”, uma comédia com a Cameron Diaz e o Bem Stiller...).

(Oh cara, isso é patético. E meio que “da hora”).

De acordo com o Evangelho de João, era apenas Maria Madá (Madalena), mas quando ela chega ao túmulo um cara pergunta por que ela está chorando e quem ela está procurando e ela acha que é o jardineiro e então quer saber se foi ele que pegou o corpo e onde o colocou -

Porque eu vou levá-lo
(Ela diz isso com a força de uma mulher que não está brincando).

Então o cara possível-jardineiro diz seu nome e ela percebe que é Jesus.

O Cara está vivo!

Lucas nos diz que este mesmo cara andou com dois dos discípulos de Jerusalém a Emaús (que são 12 km), conversando durante todo o caminho, e eles não o reconheceram até que eles se sentaram para uma refeição e ele partiu o pão, então eles perceberam que era Jesus.

O Cara está vivo!

(Interessante que as pessoas que estavam mais próximas a Jesus e passaram anos com ele NÃO O RECONHECERAM depois da ressurreição. Hummm. Da próxima vez que você ouvir alguém insistindo que era uma ressurreição real e literal - o que é maravilhoso se você me perguntar - certifique-se de acrescentar que “corporal” deve significar que ele não se parecia com o que era antes).

Um evangelho menciona que houve um terremoto -
que os outros deixam de fora -
João conta a história de dois anjos vestidos de branco sentados onde o corpo de Jesus tinha sido sepultado,
Lucas diz que foram dois homens em branco reluzente,
Marcos diz que foi um jovem vestido com uma túnica branca sentado no lado direito do túmulo,
e Mateus diz que era um anjo do Senhor, que rolou a pedra

e , em seguida, sentou-se nela.
Assim como você faz.
Quando você rola uma pedra.
E abre um túmulo.

Se você ler os relatos novamente, há um emocionante caos geral ocorrendo. Deixando de lado a questão de saber se um homem realmente ressuscitou dos mortos (Para o registro, eu acredito, e a pura poesia por si só é tão loucamente boa ... ), os quatro registros sobre Jesus ressuscitar dos mortos contêm uma série de detalhes confusos que tornam essa narrativa bastante confusa, para dizer o mínimo.

Existem várias respostas para essas diferenças:

Alguns as ignoram. Eles simplesmente repetem uma vez após outra que essa é a palavra de Deus e assim nós a tomamos pela fé, e não devemos questionar a sua verdade, etc...

Outros têm essas diferenças como prova clara e tangível de sua incredibilidade. Viu? É tudo mito, fábula, milagre, fantasia, etc..., emprestado das lendas da época.

Acho ambas as perspectivas chatas.
Antes de me explicar, no entanto, alguns pensamentos sobre propaganda.

Para resumir, esta é a pior propaganda do mundo. Se você está tentando começar uma religião, esta é uma porcaria de maneira para fazer isso. Como você vai inspirar confiança, se você não pode sequer relatar os detalhes com precisão a uma só voz?

Isso para não mencionar as mulheres, que vamos mencionar porque os escritores de todos os Evangelhos as mencionam. Nesses relatos, os escritores todos afirmam que são as mulheres que primeiro percebem (diga comigo agora)

O Cara está vivo!

As mulheres não tinham muito respeito no primeiro século como pensamos sobre elas hoje, tanto que sua palavra significava quase nada no tribunal. Por que, em uma cultura que tinha tão pouca consideração para o testemunho de mulheres, você contaria uma história que depende em grande medida, do testemunho de mulheres?

Em segundo lugar, Mateus escreve que Jesus se encontrou com sua turma em uma montanha na Galiléia e

quando o viram alguns o adoraram, mas alguns duvidaram.

O quê ... ? Eles duvidaram?
Por que Mateus incluiu isso?
Se o ponto de seu livro é que Jesus é o Messias, o Rei, o Salvador do Mundo tão esperado, aquele que todos estavam esperando, por que ao atingir o auge da história ele inclui uma linha sobre alguns de seus seguidores duvidando? Isso não estraga o momento? Isso não mina tudo o que vem dizendo em sua história?

(Imagine Jesus, de pé na montanha: você está duvidando? Sério gente?!! Eu morri e voltei. Eu não tenho nada mais impressionante do que isso. Se Eu não fizesse isso pra vocês o que mais eu poderia fazer?).

E enquanto estamos no assunto, eu tenho que mencionar o que Jesus diz quando ele se levanta de entre os mortos. Você sabe, né? Você está familiarizado com a sua fala clássica, a profunda frase, a verdade brilhante que ele pronuncia quando ele aparece, oh sim, vencendo a morte:

Vocês tem aqui alguma coisa que comer?

e em outro evangelho

Vocês têm algum peixe?

Porque, como todos sabemos, o apetite pode aumentar muito quando trabalhamos para ressuscitar …

Isso deixa uma pergunta para você:
Se algo de extraordinário aconteceu, como isso poderia ser lembrado?

O que leva a outra pergunta:
Se alguém ressuscitou dos mortos, como é que essa história pode ser contada? De uma maneira calma, serena e polida ou de uma forma ligeiramente caótica que zumbe, zune e tagarela com a eletricidade que vem de experimentar algo inesperado e extraordinário que você realmente não tem categorias para descrever?

O que leva a outra :
É a aleatória humanidade de tudo isso razão para rejeitá-la ou um sinal de que é um registro autêntico do que aconteceu?

O que leva a outra pergunta:
Quando Mateus nos diz que alguns de seus seguidores duvidaram, isso mina a história ou é exatamente o tipo de honestidade que reflete como as pessoas realmente são?

Quando cada um dos escritores do evangelho inclui a parte sobre as mulheres que são testemunhas, por que arriscar? Que coisa estranha para incluir sabendo que sua história seria desacreditada, a menos que as mulheres realmente tenham sido as primeiras testemunhas.

Quão aberta é a sua mente?
O que é possível?
Existe uma nova criação estourando dentro disso tudo?
Aconteceu alguma coisa que muda tudo?
O túmulo está vazio?
O que aconteceria se você realmente vivesse como se fosse verdade?
O que essa história faz em seu coração?

O Cara está vivo?



sexta-feira, 8 de agosto de 2014

O que é a bíblia? Parte 17. Pressuposições e encontros do AA (por Rob Bell)



Série de reflexões sobre a Bíblia, escrita e publicada originalmente em inglês, no tumblr, pelo próprio autor Rob Bell e sua equipe. (http://robbellcom.tumblr.com/post/66107373947/what-is-the-bible).
Transcrito e adaptado para portugues por Marcus Vinicius Epprecht com autorização do autor. Proibida a reprodução para fins comerciais ou qualquer forma de ganho sobre este texto sem a autorização expressa do autor e do tradutor.
Revisado por Felipe Epprecht Douverny e Fernanda Votta Epprecht.
Publicado em português simultaneamente nos seguintes endereços:





Parte 17. Pressuposições e Encontros do AA



Lembro-me do primeiro sermão que eu dei como se fosse ontem. É uma das lembranças mais vívidas que tenho. Eu tinha 21 anos e eu me ofereci para dar o sermão (Quem faz isso? Quem se voluntaria para pregar um sermão?). Eu sabia, no momento em que me levantei para começar a falar, que era isso o que eu deveria fazer da minha vida. E realmente senti como se fosse o primeiro dia do resto da minha vida, como se minha vida estivesse começando novamente, como se eu fosse feito para isso.

Sei que pode soar dramático, mas foi isso que aconteceu.

Esse sermão acabou por ser o primeiro de muitos.

Eu iria estudar uma passagem na Bíblia e em seguida preparar um sermão e então pregá-lo, em seguida, estudar outra passagem, preparar outro sermão e pregá-lo...

É o que eu venho fazendo desde então. E eu amo isso mais do que nunca. Eu amo o ofício, o processo, o suor, o sentimento enlouquecedor que vem quando você está perto, mas não chegou lá. Eu amo as horas de estudo e reflexão. Eu amo ver tudo isso se unindo. Eu adoro quando estou trabalhando em algo e de repente eu vejo o que eu não tinha visto antes. E eu estou sentado lá sozinho na minha mesa e empurro a cadeira para trás e respiro profundamente, porque eu estou abasbacado pelo fato de que, o que quer que eu tenha descoberto, eu vou poder compartilhar com as pessoas.

Digo tudo isso porque, como um pregador, a Bíblia é onde você começa. E a Bíblia, como todos sabemos, pode ser um problema. Algumas pessoas são contra ela, mas não tem idéia do que está nela, alguns simplesmente não confiam nela, alguns a vêem como um obstáculo para a evolução e iluminação, e outros apenas continuam a repetir os mesmos versículos que tem sido repetidos por anos, perguntando-se por que todos - incluindo eles mesmos - estão tão entediados. E ainda alguns têm tanta bagagem associada a ela que não sabem nem por onde começar …

Acho a Bíblia mais fascinante que nunca. Conforme eu passei a limpo meus anos de pregação, percebi que há uma série de percepções que modelaram o modo como me aproximo da Bíblia, percepções que vou fazer o meu melhor para explicar aqui.

Então se você está fatigado, desanimado, ou enterrado em sua bagagem quando se trata de Bíblia, isto é para você.

Primeiro, você tem que começar com o que você tem.
Eu tenho um amigo chamado Pete Rollins (sugiro a leitura de seus livros, eles são esplêndidos), que aponta que uma das razões para as reuniões do AA serem tão poderosas é que tudo que você tem é a sua materialidade. O que ele quer dizer com materialidade? Em uma reunião do AA , você não pode fingir. Você não pode se esconder. Você não pode ser qualquer coisa ou qualquer pessoa que não seja quem você é e o que você tem feito. Você é impotente contra o álcool, a sua vida se tornou incontrolável, e você precisa de ajuda. Você está ali, naquela sala, sentado naquela cadeira dobrável, bebendo café, em sua essência nua e crua.

Se você fosse para dizer " Oi, eu sou ______ e eu sou alcoólatra, mas você tem que entender que não é assim um problema tão grande, porque eu sou realmente uma pessoa incrível que alcançou todos os tipos de coisas incríveis, e não é realmente o meu estilo estar em uma reunião como esta ... " todos nós saberíamos que você não está pronto. Você não está falando sério. É só quando você chega ao fundo do poço, quando você está disposto a sentar-se com a sua dor e impotência e enfrentá-la e reconhecê-la e abraçá-la pelo que ela realmente é, em toda a sua crua materialidade é que você tem uma chance de um dia limpo e sóbrio.

Agora vamos pensar na materialidade em relação à Bíblia.
A Bíblia é uma série de escritos de pessoas reais que viveram num lugar real em tempos reais. Isso é o que temos. Isso é o que a Bíblia é, antes que seja outra coisa. É aí que começamos. Essas pessoas que escreveram essas coisas eram auto-centradas, engraçadas, gananciosas, amorosas, imprevisíveis, generosas, apaixonadas e propensas a fazer coisas realmente estúpidas.

Assim como nós.

Eles tiveram experiências.
Eles contaram histórias.
Eles fizeram o seu melhor para compartilhar essas histórias e traduzir essas experiências.

Quando você se aproxima da Bíblia, então, você tem que começar com o que você tem, o que você sabe sobre ela, o que realmente é.

É aí que você começa.
Em segundo lugar, então, quanto mais pressuposições você trouxer para a Bíblia menos interessante você vai achá-la.
Vamos começar com um exercício: Você tem pensamentos sobre Deus e a Bíblia. Crenças. Ceticismos. Convicções. Raiva. Experiências. Coisas que as pessoas têm dito. Coisas que você leu. Opiniões sobre o Deus em que você acredita ou não. Qualquer outra coisa. Imagine esses pensamentos como bolas de gude. Cada um uma bolinha brilhante.

Entenderam? Bom. Agora, pegue todas as bolas de gude e coloque-as em seu bolso. Ou em um balde. Ou no porta-copo em seu carro. Você entendeu. Deixe-as à parte. Ponha-as fora de alcance.

Agora, leia a Bíblia.
Sem qualquer uma dessas bolas de gude.

Vá em frente.
Experimente.
Escolha uma passagem aleatória.
Mergulhe nela.

Será melhor para você lê-la sem deixar qualquer idéia sobre Deus entrar no quadro.

Se você fizer isso, tudo que você tem são as palavras na página. Escritas por pessoas, transmitidas por pessoas, editadas por pessoas, decididas por pessoas.

Isso é o que você tem.

Agora, vamos voltar a algumas dessas perguntas que muitas vezes surgem quando as pessoas falam sobre a Bíblia. Vamos nos concentrar em algumas das perguntas quase clichês, mais comuns, como:
Por que Deus disse a essas pessoas para matarem outras pessoas?
ou
Por que Deus criou as pessoas se Deus sabia que eles iriam estragar tudo?
ou
Por que Jesus teve que morrer - Deus não podia ter salvado o mundo de outra maneira?

Você já ouviu falar dessas, certo?

Aqui está o porquê de eu trazê-las: se você fosse perguntar às pessoas que levantaram as questões de onde tiraram suas idéias sobre este ser nomeado DEUS, não tenho dúvidas sobre o que seria a mais provável resposta: A partir da Bíblia.

Você está acompanhando?
Você vê por que isso pode ser um problema?

As pessoas que fazem perguntas como estas já têm uma série de pressuposições e crenças e pensamentos sobre Deus e a Bíblia, e trazem isso tudo para sua leitura da Bíblia. Então, enquanto elas estão lendo, estão constantemente comparando o que estão lendo com o que já decidiram sobre quem é e como é Deus (Isto é especialmente verdade para as pessoas religiosas que cresceram ouvindo sobre uma versão específica de Deus. Para elas pode ser muito, muito difícil ouvir a Bíblia de outra maneira).

A arte, o desafio, o convite, então, ao ler a Bíblia é estar ciente, o máximo possível, de suas bolas de gude e mantê-las na gaveta, enquanto você puder. É por isso que muitas vezes as pessoas que cresceram na igreja, ao irem para a faculdade e terem uma aula de literatura ou religiões comparadas e terem que ler a Bíblia como parte de seus cursos, de repente acham que ela é fascinante. A sua formação, na verdade, inoculou-as contra a natureza cativante da Bíblia, pois gastou muito tempo lhes dizendo o que ela é …

O que me leva a um terceiro ponto: Cuidado com os sermões onde o ponto é provar algo sobre a Bíblia.

Não só eles são muitas vezes muito chatos, e tão confuso de se saber qual é o seu público-alvo (Estas são pessoas que se levantaram em uma manhã de domingo e a melhor coisa que poderiam pensar em fazer era entrar no carro e dirigir até um prédio para ouvir alguém falar sobre um livro que foi escrito há milhares de anos por pessoas em um continente diferente em uma cultura diferente, que falavam uma língua diferente. Eles provavelmente não precisam ser convencidos de muita coisa ... ),

mas eles são um exercício gigante em errar o alvo.

A Bíblia não é um argumento, é um registro da experiência humana. O ponto não é provar que é a palavra de Deus ou é inspirada ou qualquer-que-seja-a-palavra-que-está-em-uso-pelas-pessoas, o ponto é entrar em suas histórias com tamanha intenção e vitalidade que você descubra o que é que inspirou as pessoas a escreverem esses livros.

(Quando você encontrar algo inspirador, a última coisa em sua mente é provar que é inspirado, você fica totalmente tomado pelo fato de ser realmente inspirado).

Se você está tentando provar o que ela é,
você já está profundamente perdido na floresta.

Mas se você mergulhar profundamente na humanidade dela, é aí que as coisas começam a ficar interessantes ...

Em quarto lugar, então, você tem que deixá-la ser o que é.
Há muitas passagens que são um tanto quanto misteriosas, palavras na língua original para as quais não temos equivalentes modernos, histórias que envolvem práticas e rituais para os quais não temos qualquer referência de contexto ...

Mas se você mantiver suas bolas de gude no balde e ler e ouvir atentamente, você começará a ver a história por trás da história, a história de pessoas acordando para entendimentos maiores e mais expansivos sobre quem eles entendem que Deus é e o que eles acreditam que Deus está planejando para o mundo.

Suas perguntas, então, começam a tomar um novo caráter, porque você começa a perceber que quanto mais você entra na humanidade dessas histórias, mais descobre que há algo nelas, algo insistente, algo duradouro, algo que não vai deixar essas pessoas escaparem.

E então você percebe que essa mesma força, presença, arrastão e chamado está trabalhando hoje dentro de você. E de todos que o rodeiam.

E o que quer que seja que não vai deixar essas pessoas escaparem também não vai deixar você escapar.

Assim, quaisquer que sejam suas perspectivas sobre a Bíblia , deixe-a ser o que é.
Se você ainda está segurando uma bagagem que você não precisa, deixe isso pra lá.
Se você não pode lê-la sem se apressar em fazer julgamentos, coloque mais algumas bolinhas de gude na gaveta.
Se você só é capaz de lê-la de uma única maneira, peça por novos olhos.

Em seguida, vamos olhar para algumas coisas na Bíblia que exigem deixá-la ser o que é, começando pela ressurreição.