terça-feira, 22 de outubro de 2013

7 Palavras

As 7 palavras de Jesus na cruz talvez sejam as mais repetidas e as menos entendidas do universo.

E por que digo isso?

Porque Ele nos diz que se quisermos ser seus discípulos temos que negar a nos mesmos (o si mesmo de cada um) e tomar a nossa cruz (a cruz de cada um).

Mas será que cada um tem uma cruz diferente, em termos de princípios e direcionamentos de vida?

Porque essa cruz de cada um deve substituir o si mesmo de cada um.

A questão do si mesmo pretendo posicionar em um próximo post, pois é bastante profunda e abrangente, mas de qualquer forma não se trata de uma anulação do ser, mas de uma afirmação do ser.

Ser como Ele é.

Voltando às 7 palavras o que temos é (não necessariamente nessa ordem):


  1. Pai perdoa-lhes pois não sabem o que fazem - o grande princípio do caminho de seguir a Jesus é o perdão. Fomos perdoados de graça e devemos repetir o ato: perdoar de graça. Tenho que admitir que isso é uma dureza, mas é possível. è um exercício.
  2. Eis aqui tua mãe, eis aqui teu filho - no caminho da vida com Jesus as relações de família se estendem a todos os que se encontram nesse caminho. De repente descobrimos que temos muitos irmãos, pais, mães, filhos. Só é preciso cuidado para não querer muitos cônjuges, pois não é esse o espírito da coisa!. A Igualdade é o princípio aqui percebido.
  3. Tenho sede - é preciso assumir a humanidade, que tem necessidades físicas, mentais e espirituais e cada um de um jeito diferente conforme tudo o que antecedeu seu momento. E interessante notar que Ele recusa o vinagre que lhe é oferecido pois isso seria um entorpecimento, uma fuga da realidade. Nossa real humanidade ou humana realidade deve ser assumida do começo ao fim. Não se pode fugir dela nem desprezá-la. Auto consciência - outro grande princípio / direcionamento.
  4. Hoje estarás comigo no paraíso - esse paraíso começa hoje, aqui e agora e é um estado de ser muito mais que um lugar incerto e não sabido.... A Plenitude de vida é o princípio desta fala.
  5. Deus meu, porque me desamparaste? - é preciso encarar o absurdo, ter coragem de expressar o sentimento de forma franca e clara, sem esconder nada, com toda a liberdade. o Evangelho é liberdade, tão grande que até assusta, ou como diz meu amigo Eliezer, dá vertigem.... Deus não havia desamparado Jesus e este sabia disso, mas não se recusou a expressar a sensação, a emoção, o sentimento que tinha naquele momento. A liberdade é o princípio aqui.
  6. Nas Tuas mãos entrego meu espírito - outra vez coragem para o desapego total, até mesmo do próprio espírito. Pois se analisarmos com profundidade o nosso espírito foi dado por ele mesmo, logo já não é nosso. Mas o desapego é outro princípio fundamental.
  7. "Está consumado" (Tetelestai) - está tudo resolvido. É só uma questão de tempo, nesta breve e momentânea tribulação, como diz Paulo, e teremos consciência total de tudo e entenderemos que desde antes de tudo, tudo estava resolvido. O princípio da Eternidade.


Trocar o si mesmo por esses princípios estabelecidos como guias na cruz do próprio Cristo para a cruz de cada um de nós é o desafio que temos todo dia e a cada dia.

Prossigamos com fé para o alvo da soberana vocação!

marcus
primavera de 2013


Nenhum comentário:

Postar um comentário