quarta-feira, 7 de maio de 2014

O que é a bíblia? Parte 9. Adão e Eva (por Rob Bell)


Série de reflexões sobre a Bíblia, escrita e publicada originalmente em inglês, no tumblr, pelo próprio autor Rob Bell e sua equipe. (http://robbellcom.tumblr.com/post/66107373947/what-is-the-bible).
Transcrito e adaptado para portugues por Marcus Vinicius Epprecht com autorização do autor. Proibida a reprodução para fins comerciais ou qualquer forma de ganho sobre este texto sem a autorização expressa do autor e do tradutor.
Revisado por Felipe Epprecht Douverny e Fernanda Votta Epprecht.
Publicado em português simultaneamente nos seguintes endereços:



Parte 9. Adão e Eva



From tumblr-
jwhittenii perguntou: (Pergunta enviada por internauta no tumblr)
Que tal uma seção sobre O que é a Bíblia - com Adão e Eva – história ou ficção?

Tudo bem, então, Adão e Eva.

Você acha que eles eram pessoas reais?
Eu não acho que esse é o ponto da história.

Eles poderiam ter sido?
Claro. Mas, então, você tem que responder a todos os tipos de perguntas sobre DNA, e fósseis, e evidências sobre a idade da Terra …

Alguém realmente sabe com certeza se eram ou não pessoas reais?
Não.

Então, debater se eram ou não pessoas reais não é o ponto.
Exatamente. É realmente perigoso, porque ao argumentar de um jeito ou de outro você pode perder o ponto da história.

Mas com a resposta de que você não acha que esse é o ponto da história, parece que você está evitando a questão.
Absolutamente não.

Mas sua resposta está claramente levando a Bíblia menos a sério do que se você simplesmente disser que você acredita que eles eram pessoas reais, porque a Bíblia diz que eles eram pessoas reais.
Absolutamente não. Eu dou essa resposta, porque essa é a resposta que leva a história mais a sério.

Mas algumas pessoas dizem que se você não acreditar que Adão e Eva eram pessoas reais, então você também está negando a verdade do resto da Bíblia.
Isso é loucura. E também desmerece as escrituras.

Ok, então, por que você não acha que o fato deles serem ou não pessoas reais é o ponto da história?
Porque os contadores de histórias têm claramente algo muito maior em mente …

Então, primeiro, o sentido maior.
Em seguida, alguns detalhes da história de Adão e Eva.
Em terceiro lugar, algumas conclusões, que estarão, é claro, apenas começando a discussão.

Primeiro, a história de Adão e Eva é encontrada nos primeiros capítulos do livro do Gênesis,
que é o primeiro livro da Torá. A Torá (em hebraico Torah significa caminho, ensino ou instrução) não tinha a forma com a qual estamos familiarizados (Gênesis , Êxodo, Levítico , Números, Deuteronômio ), até ser editada e montada durante o exílio na Babilônia. (É por isso que Deuteronômio, muitas vezes referido como um dos livros de Moisés, conta como Moisés ... morreu).

Durante o exílio, esses escritores e editores não estavam em Jerusalém, a sua casa e o centro de sua fé, mas a quilômetros de distância, em uma terra estrangeira cheia de pessoas estranhas, com costumes estranhos e que adoravam uma série de outros deuses.

E que história eles coletam e editam durante esse tempo?
Uma história sobre um tempo na vida do seu povo, quando os seus antepassados encontravam-se a quilômetros de casa, em uma terra estranha e precisavam ser libertos da escravidão (isso é o livro do Êxodo, resumidamente). Lembre-se, estas são pessoas judias sérias falando sobre sua cultura, sua ascendência, sua fé e seu Deus. Sua religião estava profundamente ligada à terra, ao monte em Jerusalém,
onde eles adoravam o seu Deus, no templo de Deus, até que esse templo foi destruído e eles foram levados para uma terra estrangeira.

Você pode ver como a história do Êxodo, com Deus livrando seus antepassados da opressão teria soado como música para essas pessoas no exílio? Você pode ver como isso lhes teria dado esperança? Você pode ver como eles se apegaram à ideia de que seu Deus liberta as pessoas, e talvez o seu Deus fosse libertá-los agora? Você pode ver por que eles teriam feito grandes esforços para garantir que esta história fosse editada, guardada e contada?

Por causa desta história, Êxodo tem sido muitas vezes chamado de o livro central das escrituras hebraicas,
o livro mais importante, e até mesmo o primeiro livro, porque ele gira em torno de um evento – um evento que as pessoas que compilaram a Torá esperavam apaixonadamente que acontecesse de novo. (O profeta Isaías chegou a falar em um êxodo futuro, em que toda a criação seria liberta ... )

E se você começa a história com as pessoas em escravidão no Egito, qualquer um que prestasse atenção teria naturalmente uma pergunta: Como é que eles acabaram sendo escravos no Egito?
Bem, eles acabaram lá por causa de um homem chamado José …

E quem era José?
O filho de Jacó …

E quem era Jacó?
O filho de Isaque …

E quem era Isaque?
O filho de Abraão …

E por que Abraão é um personagem importante na história?
Porque ele é aquele a quem Deus prometeu abençoar, e então fazer dele uma tribo, uma tribo que iria abençoar o mundo ... mas isso acabou em escravidão no Egito. (Gostou de como eu li o livro de Gênesis em sentido inverso?)

E por que um novo tipo de tribo que abençoaria o mundo era algo importante?
Porque as coisas tinham ficado fora de controle. Desde os primórdios da memória humana, os irmãos estavam matando seus irmãos, civilizações inteiras eram consumidas com violência, a tecnologia primitiva e a construção de impérios enchiam as pessoas de tamanho orgulho e ego que elas literalmente pensavam que poderiam construir uma torre para alcançarem o céu e se tornarem deuses.

Aaah sim, como uma progressão. Ou uma doença que se espalha. A rebelião humana começou com apenas alguns, mas foi aumentando até que todo o projeto humano foi saindo dos trilhos.
Exatamente. Essencialmente os primeiros onze capítulos do Gênesis .

Assim, o livro de Gênesis, então, é como um prólogo, dando às pessoas a história de fundo sobre a escalada da violência e rebelião humanas e explicando por que Deus chamou Abraão para ser o pai de um novo tipo de povo, um povo que mostraria ao mundo um caminho melhor.

Bem dito.

Assim, há uma história maior que está se desenrolando em Gênesis, enquanto ele se encaminha para o Êxodo.
Sim, é uma história sobre nossas origens, sobre a propensão humana para estragar tudo, sobre a violência
e o poder e o pecado e todas as maneiras que escolhemos, desde nossas primeiras experiências conscientes como seres humanos, para perturbar a paz que Deus quer para o mundo.

Agora, um pouco sobre os detalhes.

O nome Adão significa terra ou pó .
O nome Eva significa respiração, ou a vida, ou vivente.

O Sr. Terra conheceu a Sra. Vivente.

Os nomes são tão amplos, eles parecem como se fossem intencionalmente - representantes - de toda a humanidade.
Sim, parece que eles são.

E então eles falam com uma cobra -
Na verdade, falar com cobras era um artifício literário comum naquela época.

No poema do capítulo um, são criados à imagem de Deus, na estória do capítulo dois um é criado antes do outro. Por que existem duas versões diferentes em dois estilos muito diferentes?
Existem vários autores trabalhando aqui, costurando diferentes perspectivas. Lembre-se, a maior parte das escrituras começou como história oral, contos narrados em torno de uma fogueira.

Paulo e Jesus, ambos falaram sobre Adão e Eva como se fossem reais.
Sim, Eles o fizeram. A menos que você veja o Sr. Terra e a Sra. Vivente como uma maneira de falar sobre a condição humana desde os primeiros momentos, quando as pessoas começaram a perceber que eram seres humanos e estavam em uma condição particularmente destrutiva.

Então ... ?
Esse é o poder de uma grande história, em suas particularidades (personagens, seus nomes, o que fazem, o que eles dizem) ela fala sobre coisas universais (coisas que todos nós desejamos, todos os atributos que queremos, verdades sobre a condição humana que todos nós compartilhamos.)

No mundo moderno estamos profundamente condicionados a ver a verdade literal como a forma mais elevada, mais confiável de verdade. E assim, muitas histórias somente são julgadas como verdade se literalmente aconteceram no espaço e no tempo real. Mas há uma verdade-mais-que-literal, como quando Jesus fala sobre o homem que tem dois filhos e um filho pede sua parte da herança. Essa história que ele conta sobre o pai perdoador e seus dois filhos é inegavelmente verdadeira. Ela tem movido, inspirado e convencido as pessoas durante dois mil anos. E ainda assim você nunca ouve debates sobre se o pai ou os filhos eram pessoas reais.

Mas está claro a partir do contexto que, nesse caso, Jesus estava contando uma parábola. Ela liberta as pessoas de tentar descobrir se isso realmente aconteceu.
Exatamente. Para dizer de outra forma: algumas histórias verdadeiras de fato aconteceram. Mas a grande verdade é que ela acontece hoje. Há um pouco de Adão e Eva em todos nós (Um bom comediante faria a festa com essa fala ... ).

Assim, nas histórias que não sabemos se são reais ou não, devemos ficar com as mesmas perguntas? Qual é o significado? O que há de universal aqui? O que essa história nos diz sobre quem somos e quem é Deus?
Bem dito. E esse é o problema de ter apenas as duas categorias de histórico ou ficcional para escolher. Essas categorias implicam que sua verdade está ligada a sua historicidade literal. Mas não precisa estar. Na verdade, elas devem ser libertadas. As categorias são muito limitantes ...

Mas e sobre a singularidade da história bíblica que insiste que Deus está ativamente envolvido na redenção da história humana real?
Sim! Eu pensei que você nunca perguntaria. É por isso que eu acho esse livro tão atraente, é por isso por que eu sigo Jesus, e por isso vamos precisar de mais algumas semanas de postagens.


Nenhum comentário:

Postar um comentário