sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

O que é a bíblia? Parte 3. Peixe #1


Série de reflexões sobre a Bíblia, escrita e publicada originalmente em inglês, no tumblr, pelo próprio autor Rob Bell e sua equipe.(http://robbellcom.tumblr.com/post/66107373947/what-is-the-bible).
Transcrito e adaptado para portugues por Marcus Vinicius Epprecht com autorização do autor. Proibida a reprodução para fins comerciais ou qualquer forma de ganho sobre este texto sem a autorização expressa do autor e do tradutor.
Revisado por Felipe Epprecht Douverny.
Publicado em português simultaneamente nos seguintes endereços:





Parte 3. Peixe #1


... Então Pul, rei da Assíria, invadiu a terra …

Tiglate- Pilesar, rei da Assíria , veio ... e deportou o povo …

Salmanasar, rei da Assíria, marchou contra Samaria e a sitiou...

a partir de 2 Reis 15 e 18

Invadiu
Deportou
Sitiou

Invasão é o que acontece quando você levanta um exército e, em seguida, marcha para outro país e o domina com o uso da força, do poder e da violência.

Deportar é o que acontece quando se captura os habitantes do país invadido e forçosamente tira o povo desse país de suas casas e empregos e cidades e terra e, em seguida, os leva para longe.

Sítiar é o que acontece quando se cerca uma cidade com o seu exército e fazendo isso se corta o suprimento de alimento e água dessa cidade, de modo que, após muitas pessoas passarem fome, sofrerem e morrerem, elas acabam desistindo de resistir e se rendem.

Os assírios, em outras palavras, eram maus. Desagradáveis, brutais, violentos, opressivos - os assírios tornaram a vida miserável para os israelitas. Ano após ano, após ano.

É durante essa época que surgiu uma história sobre um homem chamado Jonas.

Jonas era um israelita.

E de acordo com esta história em particular, o Deus de Jonas diz a Jonas para levar uma mensagem à grande cidade de Nínive.

E Nínive estava na ... Assíria.

Assíria? Nosso pior inimigo? Os infiéis odiados que transformaram a vida do nosso povo num verdadeiro inferno várias e várias vezes? Você quer que eu vá para o centro da besta e faça algo de bom para eles? Sério?

Jonas não quis saber de nada disso e por isso partiu para o porto mais próximo, tomou um navio, e navegou na direção oposta.

Claro que ele fez isso.
Você pularia num barco também!

(Nota : Muitas vezes, esta história é contada de tal maneira que a desobediência de Jonas é o ponto chave da primeira parte, e “Veja a seguir o que acontece quando não fazemos o que Deus nos diz para fazer.” Mas como você imagina que o primeiro público dessa história teria reagido quando Jonas não vai para Nínive? Eles odiavam os assírios. Será que eles se concentrariam em sua desobediência ou teriam aplaudido Jonas, com quem provavelmente estavam totalmente identificados? )

Assim, ele fica no barco, uma tempestade vem, há uma discussão entre a tripulação sobre a causa da tempestade, eles determinam que ele, Jonas, é o problema, eles decidem jogá-lo ao mar, ele é engolido por um peixe, ele ora na barriga do peixe, o peixe o cospe, então ele vai para Nínive, os ninivitas são fantasticamente receptivos à sua mensagem, e, em seguida, a história termina com ele tão deprimido que ele quer se matar por causa de uma planta.

(Você não pode inventar uma coisa dessas)

Há tanta coisa aqui, onde eu começo?

Nós vamos chegar ao engolido por um peixe em breve, mas, primeiro, vou começar com a simples estranheza dessa história.

Você presumiria que uma história contada por israelitas sobre assírios se limitaria a categorias bastante simples e diretas de bom e mau, certo e errado, justo e ímpio?

Mas o israelita nesta história, aquele que supostamente segue a Deus, corre na direção oposta de Deus. A palavra que é usada é fugir. Jonas foge. Ele, então, acaba em um barco cheio de marinheiros " pagãos" que oram.

E enquanto eles estão orando para a tempestade parar Jonas não o faz. Jonas dorme.

Os pagãos, os marinheiros pagãos fizeram todos os tipos de perguntas para tentar descobrir por que essa tempestade veio sobre eles, apenas para descobrir que Jonas é o problema, algo que Jonas sabia o tempo todo.

E então, quando ele finalmente chega a Nínive, depois que ele resistiu a Deus mais de uma vez, estes horríveis e desagradáveis assírios se tornaram abertos à mensagem de Deus, realmente abertos - tão abertos que o rei ordena:

... Que os homens e os animais sejam cobertos de saco.

Pano de saco era o que se usava quando se estava clamando a Deus, quando você estava extremamente consciente de seus pecados, quando você estava pedindo a misericórdia de Deus. O rei ordena que todos se arrependam e vistam-se de saco, incluindo os animais!

(Animais arrependidos ? O q...!? .... Um detalhe bastante surreal, para dizer o mínimo. Uma das muitas dicas de que o autor tem um objetivo maior em mente ... ao qual nós vamos chegar em breve.)

(Outra questão sobre esse ponto: quando você lê a Bíblia e identifica partes estranhas como animais vestindo saco, tome nota dessas partes estranhas, porque geralmente elas estão lá por alguma razão...).

Estamos familiarizados, no mundo moderno, com estruturas que veem as coisas em termos dualistas: existem as pessoas boas, e depois há as pessoas más, não é a coisa certa a fazer, não é a coisa errada a fazer, há pessoas que precisam de salvação, e depois há as pessoas que realizam a salvação.

Mas nesta história as categorias estão todas embaralhadas. O supostamente justo israelita é desafiador e preguiçoso e aparenta ser um tolo / idiota, enquanto os pagãos supostamente maus e perversos são receptivos e abertos à mensagem de Deus para eles.

E então, no final, depois que Jonas teve uma mudança de coração e viu essa grande mudança, milagrosa, no coração dos ninivitas bem diante de seus olhos, ele fica tão chateado com isso que quer morrer.
.
Ele diz para Deus:
Eu sabia que você é um Deus clemente e compassivo, tardio em irar-se e cheio de amor, um Deus que abranda o envio de calamidades.

E então ele acrescenta:
Agora Senhor, tira a minha vida, pois é melhor, para mim, morrer do que viver.

Que história bizarra!
Uma história em que nenhum dos personagens faz o que se espera que eles façam. O que levanta as questões:
Então, por que essa história sobreviveu?
O que as pessoas acharam de importante nessa história para que valesse a pena contá-la e preservá-la?
O que isso nos diz sobre como eles entendem quem são e quem é Deus?

Várias respostas.
Em primeiro lugar, esta história é sobre um homem, mas também sobre uma nação. Jonas não quer ir para Nínive, porque os assírios tinham tratado os israelitas horrivelmente. A história faz a pergunta:

Pode Jonas perdoar os assírios?
o que é realmente a questão
Pode Israel perdoar os assírios?

Jonas está irritado no final,
com raiva porque Deus foi tão gentil com eles.

Claro, Jonas está irritado.

Quando você não perdoou alguém que o ofendeu e, em seguida, algo de bom acontece com ele, quando ele é abençoado ou recebe misericórdia ou experimenta um favor - isso é enfurecedor.

O que nos leva a um tema maior da Bíblia: de acordo com o que está se desenrolando até Jonas ficar em um barco, Israel tinha um chamado desde o início de sua história (Gênesis 12 para ser mais preciso ) para ser uma luz para o mundo, para mostrar ao mundo o amor redentor de Deus.

Um chamado que eles não atenderam.

Há uma pergunta, então, que se esconde na história de Jonas:
Você pode perdoar o seu pior inimigo e ser um canal através do qual o amor redentor de Deus pode fluir para ele?

É uma pergunta para Jonas
porque
é a questão para Israel.

É por isso que o livro de Jonas não termina com uma conclusão ou uma sentença ou detalhes sobre o que Jonas faz em seguida.

O livro termina com uma pergunta, uma pergunta que Deus tem para Jonas:
Eu não deveria estar preocupado com aquela grande cidade?

É uma pergunta para o personagem Jonas na história,
mas num nível muito mais significativo,
é uma questão que o autor está colocando ao público,
um público que só podemos concluir que teria muitas, muitas razões pessoais para responder ...

não.

Dito isso, o que acontece com a parte do peixe?



Nenhum comentário:

Postar um comentário