sexta-feira, 20 de julho de 2012

Assim ou assado, ou quem sabe nem um nem outro

Acompanhando a discussão toda que se instaurou em torno da PL 122 e todos os codinomes que a mesma recebeu resolvi colocar aqui minha opinião.

Em primeiro lugar, creio que devemos admitir que todos nascemos com desejos entranhados. Não sei se por conta do arquétipo sócio - econômico - cultural - temporal - geo-político, por conta da genealogia, por conta do DNA, ou por conta do que?...... mas vejo claramente que as vontades, desejos, tendências, quase nunca tem uma explicação razoável.

Há muitos que tentam, mas eu não estou convencido. Falo aqui das opções não conscientes. Aquelas que nos fazem decidir sem pensar, sem arquitetar nada. Apenas agir. E agir naturalmente, não como quem incorporou loucuras em seu estado de ser e se esconde numa pseudo-naturalidade para justificar atos estranhos.

Concordando ou não temos que respeitar as opiniões e decisões de todos. Algumas dessas decisões soam estranhamente. Outras nem discutimos - "teje preso"! (afinal as decisões de matar, roubar, e as demais classificadas como crimes já foram discutidas - talvez nem tanto quanto deveriam - ou que fazer com tais indivíduos - tem recuperação? não? sim? xiiiiiiiiiiii........).

Pessoas são pessoas. Tem o Espirito da vida dentro delas e mesmo tomando decisões que não combinam com esse Espírito, Ele continua lá (por vezes nós mesmos tomamos a decisão de mandá-lo embora - e condenamos muitos à morte - de vários jeitos, formas, mecanismos, enfim......).

Ninguém é obrigado a gostar, mas todos somos obrigados a respeitar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário