segunda-feira, 2 de maio de 2011

BUM Laden e o festejo da morte

Que notícia!


Mataram o Bin. Com apenas um ou alguns "buns". E o mundo festejou!


Que miséria vivemos onde uma morte vira festejo. Uma pessoa, um ser "humano", morto e festejado.



Repudio todos os atos terroristas atribuídos ao morto, mas também repudio a morte como vitória.


Vitória pra mim só acontece com vida, com uma luta firme pelo diálogo, pelo entendimento, pelo respeito aos princípios e direitos de cada um, pela liberdade de viver, de pensar de existir. E a luta fica para extirpar tudo o que se opõe a isso, mas essa luta é no interior de cada ser humano e não em campos de batalha.


É exatamente aí que entra nossa miséria, pois pensamos lidar com essas coisas justamente nos campos de batalha e festejamos vitória com morte, e de preferência do outro. Não temos competência para tirar de dentro da gente esses males existenciais.


É por isso que creio no evangelho, onde o criador resolveu essa nossa incompetência, e paradoxal e infeliz e necessariamente com morte. Não dá pra entender. E o pior ou melhor é que também festejamos essa morte, até com ovos de páscoa, de chocolate, pintados, etc... 


É verdade que nela houve muito mais do que nossa vã filosofia ousa sonhar - uma reconciliação universal de tudo que tendo liberdade não conseguiu utilizar essa liberdade para o bem.


BUM e o Bin se foi. Qualquer um vai embora com um bum.


Será que ficamos com o LADEN? O "laden" da miséria, o "laden" da morte, o "laden" do festejo com gosto ruim?


Ou vamos inventar um artefato de chocolate para essa comemoração.


Que tal um CHOCOBIN ou CHOCOLADEN???????


By.

2 comentários:

  1. De acordo com o Globonews o pior é que ele foi morto DESARMADO. Me parece meio covarde da parte do maior exercito do mundo.
    Também admitiram que fizeram tortura em Guantanamo para extrair informações dos terroristas. Imagine os "Direitos Humanos" como ficam... Dá-lhe criticar China, etc. Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço.

    ResponderExcluir
  2. Leu minha mente...
    Pois é. A autointitulada maior nação evangélica comemorando a morte nas ruas...
    Quão difícil é levar a sério as palavras de Jesus no sermão do monte, sobre dar a outra face, andar mais uma milha... Passa longe dos sonhos mais ousados dos grandes defensores da cristandade.

    Na verdade, o evangelho é realmente inaceitável aos olhos humanos... é socialmente inviável ... Não por outro motivo é que se diz que ele é LOUCURA.

    Santa loucura que nos salva da loucura do mundo.

    ResponderExcluir