sexta-feira, 1 de abril de 2011

Observar, Pensar, Criar, Inovar, Oportunizar


Observar – é preciso observar: a vida, a natureza, o universo, as “leis”, se é que elas realmente existem, ou será que são a representação da nossa mera ignorância? Mas devemos observar: as pessoas, os processos ( sejam eles bons ou ruins ), o visível e talvez principalmente o invisível, enfim observar, observar, observar....


Pensar – naquilo que observamos e naquilo que imaginamos. O pensar é o segredo dos cônscios, e também a prova de que eles o são. “Penso, logo existo” concluiu o filósofo. O pensar envolve a reflexão e a lógica de cada um e a conseqüente sensação de existência “plenifica” a vida e nos coloca em contato com muito mais do que a miserável matéria.


Criar – com a consciência de que somos mais que a matéria fica claro que podemos contribuir e agregar valor ao plano material. Isso é criar, ou melhor dizendo co-criar, pois a consciência de que somos mais que a matéria, nos remete ao fato de que alguém que também é mais que a matéria, a criou, tal qual a observamos. E nós só conseguimos transformá-la.


Inovar – colocar a criação em prática, transformando-a em ação, efetivando sua agregação de valor e finalmente e realmente contribuindo com o todo como parte dele, porém maior que ele.


Oportunizar – é o patrocínio da inovação, com todo e qualquer tipo de recurso que possa torná-la viável. Obviamente falamos de recursos lícitos, que na sua completeza (desde a sua origem até seu final destino) realmente contribuam para a novidade contínua.


O vídeo abaixo serve para provocar um pouquinho:



Nenhum comentário:

Postar um comentário